Imagine a cena: você estava conversando com alguém quando lembrou de algum item muito importante que precisava comprar para sua casa. Na verdade, já havia esquecido da tarefa logo depois que seu(sua) parceiro(a) gritou da porta: “NÃO ESQUECE DE COMPRAR X!!”, mas você não anotou em nenhum lugar e, obviamente, esqueceu totalmente durante a correria do dia.

O que geralmente você faz?

1) Procura uma caneta para anotar na mão, ficando com aquela aparência de criança que saiu da aulinha de artes? Mas se não tiver uma caneta por perto… Já era! A conversa perdeu totalmente o foco enquanto você está na saga da busca pela anotação (e não desiste porque que, obviamente, se não anotar vai esquecer da tarefa novamente).

2) Anota em um caderninho ou em um post-it? Temos então o mesmo drama da cena anterior: precisa encontrar os objetos para a anotação. Só que dessa vez é ainda pior... você precisa ter DOIS objetos facilmente ao alcance!

Ok. As duas soluções anteriores são eficientes, mas certamente não funcionais. Buscando a praticidade, temos então mais uma solução:

3) Pega a primeira coisa que 96,43%* dos brasileiros carregam na mão durante praticamente a vida inteira: o celular.

Observação: atualmente, qual aplicativo é campeão de uso por todos? O WhatsApp, certo? (todos, vai. Pode falar que até seu vovozinho já te manda um zap de vez em quando!) O ícone dessa maravilha esmeralda fica em grande destaque na sua tela de celular, chegando a tremer de saudades de você ficar mais de 30 minutinhos sem acessá-lo.

Mesmo sem pensar, você abre o app e se pergunta em 0,27* segundos: “PRECISO anotar esse lembrete. Mas para quem vou me mandar essa mensagem que na verdade é um lembrete? Não pode ser para meu(minha) parceiro(a), ele(a) vai perceber que eu esqueci do recado dado pela manhã… Já sei, vou mandar para MIM! Brilhante!”

Então a conversa acabou, você resolveu a cura da AIDS com o outro interlocutor e, obviamente (sem pensar), você puxa o celular novamente e acessa o zapzap. Agoniado com as mensagens não lidas, lê sua própria mensagem e dá um sorrisinho de canto de boca: esse lembrete não será esquecido!!

Se identificou? Pois saiba que 73,41%* dos usuários do WhatsApp tem o hábito de manter uma “autoconversa”. Na realidade nem são diálogos (apenas os excêntricos têm essa mania), mas o app serviu para outro propósito fora do seu contexto: anotar um lembrete. E não é só apenas por esse meio que as pessoas fazem isso: é razoavelmente comum “se mandar” um e-mail ou uma mensagem de algum outro aplicativo para este fim.

O que essas pessoas ainda não descobriram que esse “jeitinho” pode ter uma solução definitiva! No IVUUP a captura de informações é feita da maneira mais ágil e fácil possível, deixando você mais leve para anotar seus lembretes sem o menor medo de esquecê-los depois.

* Números fictícios e propositavelmente exagerados pelo autor.

Autor: Matheus Angelini V. de Oliveira